Equações matemáticas (poema de Matheus Guménin Barreto)

O convidado super especial desta quinta-feira é Matheus Guménin Barreto, com o poema “Equações matemáticas”, presente no livro A máquina de carregar nadas (7Letras, 2017).

 

***

 

EQUAÇÕES MATEMÁTICAS

 

1)

na curva, na nuance encontrei Deus

no limpo da linha reta o perdi

 

2)

quando se escuta o marulho da noite

e as coisas ganham contorno insuspeito

a geometria do silêncio aflora

e a vida vale

 

3)

o silêncio anterior

ao construto da fala no lábio

 

4)

não diz

se sabe que o dito não condiz

com o que se queria dito

e,

         dito,

é outro dito no ouvido que o apascenta.

 

*

 

Matheus Guménin Barreto (1992- ) é poeta e tradutor mato-grossense. É autor dos livros de poemas A máquina de carregar nadas (7Letras, 2017) e Poemas em torno do chão & Primeiros poemas (Carlini&Caniato, 2018). Doutorando da Universidade de São Paulo (USP) na área de Língua e Literatura Alemãs – subárea tradução -, estudou também na Universidade de Heidelberg (Alemanha). Encontram-se poemas seus no Brasil, na Espanha e em Portugal (Revista Cult, Escamandro, plaquete “Vozes, Versos”, Mallarmargens, Palavra Comum e Diário de Cuiabá; entre outros), e integrou o Printemps Littéraire Brésilien 2018 na França e na Bélgica a convite da Universidade Sorbonne.